domingo, outubro 01, 2006

Terrazas Reserva Cabernet Sauvignon 2001 - 29/09/2006

Os Reserva da Terrazas de Los Andes são unimidade entre nós há tempos já. Não estava afim de tomar nada barato e fui dar uma geral no adega. Encontrei um Terranoble Merlot 2004, um Callia Alta Syrah 2005. Já estava querendo pegar o Terranoble quando vi o Terrazas 2001 e o Terrozo 2001. O Terrozo ainda aguenta mais uns meses, mas o que está fazendo um vinho de 2001 (que não serve para guarda) aqui?
Perfeito, pois a vontade era pedir uma lasanha verde com molho bolognesa do A Landerna para entregar em casa e o Terrozo não combinaria.
Decisão tomada, lasanha pedida para 30 minutos e vinho aberto.

TERRAZAS DE LOS ANDES RESERVA CABERNET SAUVIGNON 2001
Cor ruby escura, halo esbranquiçado de evolução e lágrimas curiosamente retendo a cor do vinho na taça. Ele costuma ter uma barrica um pouco exagerada, puxando para chocolate e tostado, mas com o tempo na garrafa a fruta havia sumido e apresentava suave aroma para pimentão verde. A boca estava totalmente fechada ainda com 20 minutos de óxigênio, meio amarrando.
Com 30 minutos desarrolhado começou a abrir, mas a lasanha tinha chego e eu não queria esperar mais. Passei para o decanter (porque não fiz isso antes???).
Agora a tipicidade da Cabernet Sauvignon começou a aparecer com notas de especiarias no aroma. A boca melhorou muito e ficou fresca, aquela ótima sensação de suavidade, sem qualquer amargor e combinando muito bem com a refeição.
Após 45 minutos começou a decair: o frescor e a complexidade se foram. No rápido momento em que estava ideal, agradou.
Concluo que 5 anos para o Terarazas Reserva Cab Sauv foi muito tempo, visto que tem forte barrica quando mais novo e é daqueles que eu ficava cheirando a noite inteira.
Custo: não lembro mais, porém em torno de R$25,00 lá na Argentina. Aqui mais de R$50,00 as safras disponíveis. Nota: no momento mais aberto e vivo, uns 86 ou 87.

Um comentário:

Vinho para Todos disse...

Leonardo, agradeço as visitas e comentários que tem deixado no meu blog. Têm me animado a escrever mais. Quando experimentar o gerwürz da Casa Valduga, dê notícias. Um grande abraço!