terça-feira, janeiro 06, 2009

Concha y Toro Reservado Carmenere 2005

Se 2009 começou bem com o Amat, já surgiu o primeiro mico do ano:

A megavinícola Concha y Toro é conhecida por fazer produtos confiáveis em várias faixas de preço. Costumo dizer que a carmenere é a uva custo-benefício, mas não foi o caso deste 2005 do Valle Central.
A cor era bordô, bem típica da carmenere. Aromas de frutas vermelhas doces. Cereja fresca bem adocicada. Vinho estranho. É macio, doce, sem grandes ataques disso ou daquilo, contudo sem grandes qualidades. Falta corpo e estrutura.
Tem algo incômodo nele. Tem aquele aroma vegetal que seria muito mais adequado na seção de vegetais da mercearia do que em vinhos. O 2005 definitivamente não volta para minha adega. 13% de álcool. R$19,00. VV!77

3 comentários:

QIC disse...

Nem com massinha básica de meio de semana...
Definitivamente, o primeiro mico do ano! Risos.
Mas não faz mal, não...
Bjs

Vinho para Todos disse...

Meu caro,

sempre acontece isso comigo. Sei que o vinho não tem muito a oferecer, mas vou eu lá e gasto meu suado dinheirinho numa garrafa.

Mas acho que o fato de escrevermos a respeito do vinho é que faz isso. Se somente bebêssemos, sem a preocupação dos comentários, talvez não cometeríamos estes equívocos. As tentativas de acerto talvez não fossem tantas.

Dê uma olhada no último vinho que comentei, um DOM CÂNDIDO. Quando estive na vinícola, sabia que estava empregando mal meu dinheiro, mas fui lá e comprei. Êta cabeça-dura!

Mas é uma vida interessante, não?

Saúde!

Vinho para Todos disse...

Meu caro, quando estive na vinícola em outubro, provei o Tannat. Nada de especial e um aroma estranho, algo químico. Talvez porque o vinho já estivesse aberto para o dia-a-dia das degustações no varejo. Enfim, não gostei.

Saúde!