quinta-feira, agosto 03, 2006

Mais Vinhos Fortificados 31/07/2006

Nesta segunda-feira tive oportunidade de provar mais dois vinhos fortificados, seguindo a dica que o CJ nos deu nos comentários. Provei o LBV da Burmester, que foi gentilmente oferecido por um grande amigo que também se apaixonou pelo vinho do porto ao tomar o Tawny envelhecido e o Vintage.

BURMESTER LBV
Lembra o Vintage em alguns aspectos, porém é mais simples. O adocicado ainda é maravilhoso. A grande vantagem é o custo-benefício, pois por apenas R$63,00 adquirimos toda essa qualidade. Na minha opinião, os portos são vinhos de sobremesa. Não para serem consumidos com a sobremesa, mas para serem A SOBREMESA! Ele será ótimo também em noites frias. Ah, e nada de servir naquelas taças de licor (ou de pinga), mania no Brasil. Na falta de taça especial para vinho do porto use as de vinho comum.

MANZANILLA
Variando um pouco nos fotificados provei também um Manzanilla, felizmente cedido também por um amigo do ramo de vendas de vinho.
É um espanhol completamente diferente de tudo que tomamos antes. A garrafa do Pedro Romero nem lembra garrafa de vinho. Piadas a parte com a pinga, confesso que fiquei meio perdido por falta de conhecimento.
Os vinhos da região de Jerez, na Andaluzia, também são chamados de Xérès ou Sherry. Em Salúncar de Barrameda acontece um processo de produção raro onde, após a fermentação, pode sugir a "flor" de bolor quando os vihos estão nas barricas, impedindo que aconteça a oxidação pelo contato com o ar. O Manzanilla é o mais seco dos Jerez.

PEDRO ROMERO MANZANILLA FINO
Cor âmbar pálido. Aroma evidente de nozes. A palavra fortificado lhe cai bem, visto que o álcool ataca nariz e boca. Chegou a lembrar mais um drink seco do que vinho.
Estudando um pouco mais após a degustação, dizem que o Manzanilla tem um sabor um tanto salgado por conta da proximidade das adegas com o mar. Talvez tenha sido este o fator que nos causou estranheza. Palomino é a uva principal.
15,5% de álcool
Pontuei 83. A BaccoUbriaco 82,81 e Robert Parker 87. Preço: R$55,00.

4 comentários:

la bibi disse...

oi !! muito interesante ou teu blog . disculpa mais non falo portugès , só un cadinho . me chamo la bibi é sou "catalana" mais gosto muito dos vinhos portugueses e tambem tenho muitos amigos no Brasil e in Portugal, entao somente queru traducir para vose un texto que escrivio um bon amigo de Sanlucar de Barrameda que explica a diferencia entre um jerez e uma manzanilla , porke a os dois lhes podem sugir a "flor" de bolor ,ou mundo dos vinhos do sul de espanha é fascinante , mais queru fazer uma boa traduçao ...
kuando tenha terminado , lo escrivo aki .
1 beijo
la bibi
les borges del camp (tarragona)

Leonardo De Araujo disse...

La Bibi, no ablo español también, pero lo intento porque considero muy simpatica su atitud de arriscar o portugues.
Muchas gracias por su contribuición. Esperamos su traducion porque este blog és para isso mismo, para cambios entre nossotros.
Sinto que no tenga comunicado su direción de e-mail ou site porque me gustaria ter enviado directamente a vos este comentario.
Bejo

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Prove o Molino Real ("vino de montana"), um dos melhores vinhos de sobremesa espanhóis.

Abraço

NOG

(Saca a Rolha)

Leonardo De Araujo disse...

Nota Posterior:
O Saul Galvão comentou o vinho e com muito mais propriedade que eu o descrevei.
Interessante que ele também citou que é um vinho para tomar gelado, como aperitivo, e que acompanha bem frios.
Quanto ao ataque de álcool, o Saul comenta que tem um final em dois tempos, com amargor no início, mas que evolui para agradável.
Um vinho diferente, realmente. Ele coferiu nota 87/100